História e Objetivos

Um pouco de nossa história

Em 1976 é criado o Laboratório Interdisciplinar para a Melhoria do Ensino e Currículo (Limec), vinculado ao Instituto de Matemática, Estatística e Ciência da Computação (IMECC), e que em 1979 passou a se chamar Laboratório Interdisciplinar para a Melhoria da Comunicação. Com a demanda de atendimento a várias unidades da Unicamp, em 1982 o Limec é separado do IMECC e, pelo crescente volume de produções educacionais e científicas em vídeo, é institucionalizado em 1985 como Centro de Comunicação (CCO).

Então vinculado à Reitoria como órgão prestador de serviços e de apoio, o CCO tinha a finalidade de desenvolver e aplicar na Universidade uma nova metodologia de comunicação, visando à melhoria do ensino, da pesquisa e da extensão, juntamente com o treinamento de recursos humanos na área de comunicação para o ensino. Gerou vídeos institucionais, documentários, material de apoio a eventos como congressos, registros de cirurgias e documentação de atividades no campus, já construindo um perfil voltado à programação televisiva.

A partir de 1997, o Centro de Comunicação passou a produzir programas televisivos com uma linguagem singular de apresentar a Universidade ao telespectador praticamente sem mediação, utilizando os próprios professores como âncoras. Assim foi feito nos programas: Saúde Mitos & Verdades, ARTV e Camarins, transmitidos regularmente no Canal 25 da VC TV a cabo. Tal programação também foi exibida pelos canais Gospel de São Paulo, Fênix de Campinas, Canal Médico (parabólica), TV Senado e Canal Comunitário de Manhattan, de Nova York.

Em 1999, um projeto desenvolvido junto a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) possibilitou a reformatação do acervo analógico (U’Matic) para digital – preservando assim a qualidade da imagem – bem como a climatização do arquivo. Nele se encontra todo conteúdo de imagem em movimento gerado a partir de 1976, considerado o mais antigo da Unicamp e que está disponibilizado para consulta pública, principalmente de pesquisadores, alunos e professores da Universidade.

A criação do Canal Universitário de Campinas no ano de 2000, veiculado pelo canal 10 da Net, levou o CCO a integrar um acordo institucional com outras três universidades da região de Campinas: Pontifícia Universidade Católica de Campinas (Puccamp), Universidade Paulista (UNIP) e Universidade São Francisco (USF) para a implementação do Canal Universitário de Campinas (legislação prevista no artigo 23, inciso I, letra “e” da Lei nº 8.977 de 6 de janeiro de 1995).

Ainda em 2000, colocou no ar o programa de estúdio Bailes da Vida, uma série sobre música popular brasileira, numa parceria com o Departamento de Multimeios do Instituto de Artes da Unicamp. A partir de 2001 entram na grade os interprogramas Acontece no Campus, Dicas de Leitura e Dicas de Saúde. No ano seguinte, o marco é a produção e edição do vídeo institucional da Unicamp nas versões em português, espanhol e inglês. Em 2003 começam novos programas (Foco Eletrônico, Palavras Cruzadas, Resgate e Valvulado, além do Memória Expressa, uma co-produção com o Departamento de Multimeios do Instituto de Artes).

Desde 31 de março de 2004, por deliberação do Conselho Universitário, fica constituída e organizada a Rádio e Televisão Unicamp (RTV), com o aproveitamento das instalações, equipamentos e recursos humanos do CCO. Desde então está subordinada à Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários (PREAC), órgão da Reitoria da Unicamp.

Em 2009 foi implantada a rádio web e 2010 começou a funcionar o circuito interno de TV da Unicamp, para a qual a RTV começa a gerar conteúdo para transmissão de programação específica, com imagem em movimento e recursos de hiperlink. É uma modalidade de mídia dirigida exclusivamente à comunidade universitária, com mais de 25 pontos espalhados pelo campus, para informar e repercutir os incontáveis eventos que acontecem diariamente nos campi da Universidade. O projeto Circuito Interno de TV conta também com o esforço de técnicos do Centro de Computação.

Objetivos e Princípios

A RTV UNICAMP tem como princípios e objetivos gerais:

I. produzir programas ou série de programas de interesse cultural, social e científico

II. promover, estimular e produzir material audiovisual contendo atividades de pesquisa, de reflexão crítica e de produção do conhecimento

III. instituir e apoiar projetos que ampliem a informação sobre os domínios e manifestações da arte e da comunicação, das humanidades e da divulgação científica

IV. desenvolver criticamente formatos que contemplem as especificidades de canais de rádio e televisão universitários

V. propiciar colaboração artística, cultural e tecnológica às demais Unidades da Universidade, bem como, a entidades públicas ou privadas

VI. proporcionar o desenvolvimento de recursos humanos em seu campo de atuação

VII. manter e disponibilizar o material audiovisual produzido pela RTV UNICAMP

VIII. representar a UNICAMP em canais públicos de veiculação, dos quais a Universidade venha a fazer parte

IX. apoiar iniciativas das unidades da Universidade na produção de programas televisivos e radiofônicos

X. dar suporte em comunicação às atividades de ensino à distância.

Artigo 3º No cumprimento de suas finalidades, a RTV UNICAMP obedecerá aos princípios de respeito à dignidade da pessoa humana e aos seus direitos fundamentais, garantida a livre expressão do pensamento acadêmico.

Deliberação CONSU‐A‐004/2004, de 30/03/2004